Emedix - Portal de saúde com informações sobre doenças, prevenção, tratamento, saúde no dia a dia, nutrição e qualidade de vida.
Imagens
Diretório de Saúde Dicionário Médico Medicamentos Genéricos Comunidades Virtuais
Saúde no dia-a-dia
linha
  Alimentação Saudável
linha
  Atividade Física
linha
  Saúde da Família
linha
  Vitaminas/Sais Minerais
linha
  Fitoterápicos
linha
Doenças e Prevenção
linha
  Artigos médicos
linha
  Perguntas & Respostas
linha
  Ponto de Vista
linha
Descobertas Científicas
linha
  Notícias da Semana
linha
  Arquivo de Notícias
linha
  Notícias Setor Saúde
linha
  Agenda de Eventos
linha
Variedades
linha
  Cartão virtual
linha
  Teste seu conhecimento
linha
  Pesquisas Online
linha
  Serviços ao Leitor
linha
sobre nós
linha
  Equipe
linha
  Colaboradores
linha
  Campanhas de saúde
linha
  Anuncie Conosco
linha
  Termo de Compromisso
linha
Desenvolvimento: Tecnoweb

Doenças e Prevenção

Esclerose Sistêmica

Dr. Mário Luiz Cardoso Pucinelli

IntroduçãoDescriçãoDiagnósticoTratamento

Tratamento

Como é o tratamento?
Quais os cuidados que devem ser tomados com o organismo?
Quando parar o tratamento?

Como é o tratamento?

Não existe um tratamento curativo para a Esclerose Sistêmica. As formas de tratamento disponíveis visam evitar a inflamação e a fibrose nos órgãos internos e na pele e também os sintomas causados por elas. Para isso, já foram estudadas diversas medicações com resultados variáveis nos pacientes:

  • Fenômeno de Raynaud: é controlado, de maneira geral, com medicações que dilatam os vasos sangüíneos, sendo a principal delas Nifedipina.
  • A dificuldade para deglutir e o refluxo gastroesofageano: evitar refeições volumosas, bem como a ingestão de líquidos durante e após as refeições, por até 30 minutos após as mesmas. Evitar curvar-se e deitar-se após as refeições. A elevação da cabeceira da cama evita o refluxo durante a noite. Juntamente com essas medidas associam-se medicações para combater a acidez gástrica e para melhorar a motilidade do esôfago.
  • Alterações renais: são muito bem controladas com medicações denominadas inibidoras da enzima conversora da angiotensina.
  • O acometimento pulmonar: é usualmente usado a Ciclofosfamida, uma medicação imunossupressora que pode ser tomada diariamente em comprimidos ou mensalmente através de um soro aplicado na veia. Deve-se ingerir líquidos em abundância durante esse tratamento para evitar irritação da bexiga urinária.
  • Alterações cutâneas: recomenda-se freqüentemente o uso de pequenas doses de D-penicilamina, que parece ter um efeito favorável no amolecimento da pele. Outros tratamentos têm sido utilizados, porém, com resultados ainda controversos.

[sobe]

Quais os cuidados que devem ser tomados com o organismo?

A principal recomendação é evitar a exposição ao frio, utilizando luvas sempre que necessário, e manter o corpo aquecido como um todo, não esquecendo de proteger a cabeça e o pescoço quando a temperatura estiver baixa.

Outro ponto importante é a reabilitação, principalmente das mãos para que se evite a posição "em garra" que as mesmas podem adotar e que são bastante prejudiciais às atividades da vida diária.

[sobe]

Quando parar o tratamento?

Em média, após um período de cinco anos a doença tende a entrar em remissão. Apesar de não significar cura, nessa fase existe um risco menor de complicações. Dependendo da avaliação do médico, o tratamento poderá ser menos intenso ou eventualmente suspenso.

Deve-se salientar que a evolução da doença pode variar muito de paciente para paciente e só o médico poderá fornecer uma opinião individualizada.

[Introdução] [Descrição] [Diagnóstico] [Tratamento]


Enviar a um amigo



[voltar] [topo]

Atenção: As informações contidas neste site têm caráter informativo e não devem ser utilizadas para realizar auto-diagnóstico, auto-tratamento ou auto-medicação. Em caso de dúvidas, consulte o seu médico.

Proibida a reprodução, distribuição ou publicação, parcial ou total, do conteúdo deste site estando o infrator sujeito às sanções legais cabíveis.


Outros artigos
bullet Alzheimer
bullet Aneurismas arteriais periféricos
bullet Aneurisma da Aorta
bullet Anorexia Nervosa
bullet Ansiedade
bullet Artrite Crônica Juvenil
bullet Artrite Reumatóide Juvenil
bullet Aterosclerose
bullet Autismo
bullet Bulimia Nervosa
bullet Catapora
bullet Colesterol Alto
bullet Depressão Infantil
bullet Distúrbios de Ansiedade
bullet Doenças da Coluna
bullet Doença de Parkinson
bullet Doença de Chagas Congenita
bullet Doenças Varicosas
bullet Embolia Arterial Aguda
bullet Epilepsia
bullet Esclerodermia
bullet Esclerose Sistêmica
bullet Espondilite Anquilosante
bullet Fadiga
bullet Fadiga Crônica
bullet Febre Amarela
bullet Febre Reumática
bullet Hepatite A - Vacina
bullet Hiperidrose
bullet Hipertensão Arterial
bullet HTLV-I
bullet Influenza A (H1N1)
bullet Meningite Neonatal
bullet Obesidade
bullet Pé Diabético
bullet Pressão Alta
bullet SAF
bullet Sedentarismo
bullet Síndrome do Anticorpo Antifosfolipídeo
bullet Síndrome de Hughes
bullet Síndrome de Reiter
bullet Telangiectasias
bullet Transpiração Excessiva
bullet Tromboembolismo Venoso
bullet Trombose Venosa Profunda
bullet Úlceras de Perna
bullet Vacinações
bullet Varicela
bullet Varizes
bullet Vasinhos
bullet Veias Varicosas
Home Saúde no dia-a-dia: Doenças e Prevenção: Pesquisas Científicas: Variedades: Sobre nós:
Contato Alimentação Saudável Artigos Médicos Notícias da Semana Cartão virtual Anuncie Conosco
Newsletter Atividade Física Perguntas e Respostas Arquivo de Notícias Pesquisas Online Equipe
Diretório de Saúde Saúde da Família Ponto de Vista Notícias - Setor de Saúde Testes e Curiosidades Colaboradores
Medicamentos Genéricos Vitaminas e Sais Minerais Comunidades Virtuais Agenda Serviços ao Leitor Termo de Compromisso
Dicionário Médico Fitoterápicos
Mapa do site
Desenvolvimento:Tecnoweb - Tel: (0xx21)2523-9108
Todos os direitos Reservados. 2000 - 2014 ®
Pesquisar
Inicio Newsletter Contato
Ecard Recomendar Twitter